O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Em: 4 de outubro de 2019

EQUIPE DE IMUNIZAÇÃO DA SECRETARIA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ITAJÁ PARTICIPA DE REUNIÃO DA CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA O SARAMPO

Na manhã do dia do 02, de outubro a equipe de Imunização da Secretaria de Saúde do Itajá participou de reunião da Campanha Nacional de Vacinação Contra Sarampo, no Auditório da II URSAP/Mossoró/RN.  O Ministério da Saúde, juntamente com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, realizará em 2019, a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo, de forma seletiva (avaliação da situação vacinal e vacinação conforme as normas do Programa Nacional de Imunizações – PNI) para crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) e adultos jovens de 20 a 29 anos, afim de interromper a circulação do vírus do sarampo e proteger os grupos mais acometidos pela doença no País. A estratégia de vacinação será realizada em duas etapas considerando períodos específicos para a mobilização da população para a vacinação, a saber:

* PRIMEIRA ETAPA:

No período de 07/10 A 25/10, será realizada a vacinação das crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) não vacinadas. O DIA D, de mobilização nacional, será 19/10. A priorização deste grupo na primeira etapa deve-se à elevada incidência da doença nesta faixa etária, nos surtos registrados em 2019. As crianças menores de 5 anos de idade apresentam maior risco de desenvolver complicações, tais como cegueira, encefalite, diarreia grave, infecções no ouvido, pneumonias e óbitos pelo sarampo.

* SEGUNDA ETAPA:

No período de 18/11 A 30/11, será realizada a vacinação de adultos jovens na faixa etária de 20 a 29 anos de idade. O DIA D, de mobilização nacional, será 30/11. Nesta etapa priorizou-se o grupo de 20 a 29 anos de idade devido ao número de casos confirmados nessa Faixa etária ser expressivo. Nesta campanha os pais e responsáveis são atores sociais importantes no processo de controle dessa doença e devem comparecer aos serviços de vacinação com suas crianças, levando a caderneta de vacinação para avaliação e registro. Apesar dos esforços empreendidos desde o início do programa de eliminação da doença, nos últimos anos, casos de sarampo têm sido reportados em várias partes do mundo e segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), muitos países permanecem endêmicos para o sarampo, principalmente aqueles com baixa cobertura vacinal e bolsões de não vacinados. O Sarampo é uma doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbitos, particularmente em crianças desnutridas e menores de cinco anos de idade. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após. Nos últimos anos, casos de sarampo têm sido reportados em várias partes do mundo e segundo a OMS, os países dos continentes europeu e africano registraram o maior número de casos da doença.  No Brasil, os últimos casos de sarampo foram registrados no ano de 2015, em surtos ocorridos nos estados do Ceará (211 casos), São Paulo (dois casos) e em Roraima (um caso), os dois últimos associados ao surto do

Ceará.